XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DO COMPORTAMENTO APLICADA E TELESSAUDE PARA PESSOAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

Resumo

Frente à crescente contaminação mundial pelo SARS-CoV-2, órgãos de saúde passaram a recomendar medidas de isolamento social. Dessa forma, foram descontinuados serviços presenciais com necessidade de proximidade física, como o serviço baseado em Applied Behavior Analysis (ABA) para pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Diante da imprevisibilidade a respeito da suspensão das medidas de afastamento físico e considerando que, sem intervenção, as pessoas com TEA estão sujeitas a possíveis agravamentos de problemas de comportamento ou perda de repertórios já adquiridos, muitos profissionais têm se voltado a oferecer atendimento na modalidade de telessaúde. A maior parte do conhecimento produzido em telessaúde envolvendo ABA aplicada ao TEA refere-se a intervenções focadas, ou seja, aquelas intervenções direcionadas apenas para um aspecto específico do repertório do paciente. Entretanto, para a maior parte dos pacientes com TEA, a intervenção recomendada é a abrangente. Desta forma, o presente trabalho busca apresentar dados referentes a intervenções focais e abrangentes, em modalidade de telessaúde, oferecidas a crianças e jovens com TEA e suas famílias. Todos os programas de ensino foram implementados em cooperação entre o cuidador e o técnico e com supervisão semanal do Analista do Comportamento. Os cuidadores tinham níveis de conhecimento variáveis sobre ABA e todos receberam instrução verbal sobre os programas a serem aplicados, bem como feedback imediato de sua aplicação. Algumas crianças já estavam em intervenção e migraram para o telessaúde, outras iniciaram a intervenção já nesta modalidade virtual. Os resultados mostraram que a maioria das crianças que estavam recebendo intervenção presencial apresentaram pouca ou nenhuma queda na taxa de aprendizagem no telessaúde e as crianças que iniciaram a intervenção nesta modalidade apresentaram ganho significativo de habilidades. Nenhuma criança apresentou perda de repertório ou estagnação.

Palavras Chave

Telessaúde, ABA, Análise do Comportamento Aplicada, Autismo

Minicurrículo do proponente

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (2010), especialização em Psicologia Clínica (Terapia por Contingência de Reforçamento) pelo Instituto de Terapia por Contingência de Reforçamento (2015) e mestrado em Psicologia (Teoria e Pesquisa do Comportamento) pela Universidade Federal do Pará (2017). Atualmente é psicóloga clínica - Clínica TEDI - Terapias Especializadas em Desenvolvimento Infantil e efetivo - Tribunal de Justiça do Estado do Amapá. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Análise do Comportamento Aplicada (ABA), atuando principalmente nos seguintes temas: transtorno do espectro autista, análise aplicada do comportamento, treinamento de profissionais e psicologia jurídica e psicologia clínica comportamental.

População envolvida

Desenvolvimento atípico

Perfil do público alvo

Avançado

Área

Transtorno do Espectro do Autismo

Instituições

Terapias Especializadas em Desenvolvimento Infantil - TEDI - Amapá - Brasil

Autores

ORIANA COMESANHA SILVA, MARÍLIA FONTES DE CASTELO BRANCO, PEDRO ARAÚJO FERREIRA