XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇAO COMPORTAMENTAL ABRANGENTE POR VIDEOCONFERENCIA DE UMA CRIANÇA COM AUTISMO: BENEFICIOS E LIMITAÇOES

Resumo

Estudos apontam a eficácia de treinos realizados por videoconferência para implementação de procedimentos baseados em Análise do Comportamento Aplicada (ABA). Porém, não há estudos que mencionem a utilização da mesma tecnologia para a realização de avaliações de repertório de indivíduos. Com a suspensão de atendimentos presenciais pela necessidade do distanciamento físico, foi realizada a avaliação inicial via videoconferência em uma criança de três anos com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA). O procedimento consistiu em: 1) Entrevista inicial com a cuidadora; 2) Entrega prévia de lista dos materiais necessários para avaliação; 3) Descrição das habilidades a serem avaliadas e o arranjo do ambiente necessário para avaliá-las; 4) Realização de duas sessões de observação, com duração de 60 minutos cada; 5) Envio de questionário de avaliação indireta a ser preenchido pelos pais acerca de problemas de comportamento. Foi possível fazer a observação de déficits e habilidades da criança nas categorias de comportamento: mando, tato, habilidades de ouvinte, brincar funcional, imitação, vocal, intraverbal, leitura, matemática, escrita e estrutura linguística. Não foi possível avaliar habilidades sociais e de grupo e rotina de sala de aula. Conclui-se que: 1) a avaliação online foi possível para avaliação de repertórios mais básicos de comportamento, como os descritos nos níveis 1 e 2 do Verbal Behavior Milestones Placement Program (VB-MAPP); 2) questionários de avaliação indireta e relatos dos cuidadores são uma fonte de dados importante para a complementação da avaliação online; 3) essa alternativa é recomendada para indivíduos que necessitem iniciar mais prontamente a intervenção e/ou cujos responsáveis concordem que a avaliação deverá ser complementada de forma presencial quando possível. Algumas limitações foram: problemas de conexão; ocasional resolução de baixa qualidade do vídeo; baixa frequência de comportamentos colaborativos por parte da criança.

Palavras Chave

Avaliação online, autismo, distanciamento físico, videoconferência

Minicurrículo do proponente

Possui graduação em psicologia e título de mestra em Teoria e Pesquisa do Comportamento pela UFPA, conduzindo pesquisas sobre comportamentos característicos de TDAH em crianças respiradoras bucais. Marília realiza acompanhamento de pessoas com TEA há 6 anos, com foco em desenvolvimento global por meio de intervenções clínicas, domiciliares e em contexto escolar. É sócia e diretora da clínica TEDI – Terapias Especializadas em Desenvolvimento Infantil, em Macapá (AP), atuando como supervisora de intervenções a pessoas com atraso de desenvolvimento e supervisão de outros profissionais da área.

População envolvida

Desenvolvimento atípico

Perfil do público alvo

Avançado

Área

Transtorno do Espectro do Autismo

Instituições

Terapias Especializadas em Desenvolvimento Infantil - TEDI - Amapá - Brasil

Autores

MARÍLIA FONTES DE CASTELO BRANCO, ORIANA COMESANHA E SILVA