XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

CONTROLE AVERSIVO EM CONTINGENCIAS DE REFORÇAMENTO POSITIVO: AUTOIMPOSIÇAO DE TIME-OUT EM DIFERENTES ESQUEMAS DE REFORÇAMENTO POSITIVO EM RAZAO FIXA

Resumo

O controle do comportamento tem sido tratado de forma binária, dividido entre contingências de reforço positivo e as que envolvem controle aversivo. No entanto, estudos têm demonstrado que o reforçamento positivo pode controlar comportamento de fuga (autoimposição de time-out - TO), sugerindo que essa contingência envolve algum grau de aversividade. O presente estudo teve como objetivo verificar se ratos produzem autoimposição de TO quando expostos a reforço positivo. 12 animais foram colocados em uma caixa com duas barras disponíveis, sendo programado que respostas em uma delas eram reforçadas com água em esquema de razão fixa (FR), com diferentes valores entre FR 5 a 40. Pressão na barra alternativa gerava uma das seguintes consequências: (1) suspensão do esquema de reforçamento positivo (extinção) na primeira barra dos estímulos a ele associados (TO), ou (2) suspensão dos estímulos associados ao reforçamento positivo, sem imposição de extinção. Metade dos animais recebeu o tratamento 1 e os demais o tratamento 2. Os resultados mostraram que, além do padrão típico de FR, todos os ratos responderam na barra alternativa, porém com diferenças entre eles: os da condição 1 paravam de responder na barra de FR durante todo o tempo da extinção, enquanto os animais da condição 2 mantinham seu responder nessa barra por toda a sessão. Também houve diferença na frequência de resposta na barra alternativa e no tempo de TO em função do tamanho do FR. O aumento da frequência de respostas na barra alternativa apresentado pelos sujeitos que passaram pela condição 1, bem como a diferença no responder nos períodos de TO e MA sugerem que a produção do TO no primeiro grupo é um comportamento de fuga do esquema de reforçamento positivo. Serão discutidas as implicações desses resultados para a análise sobre a aversividade existente em contingências de reforçamento positivo e para as considerações sobre a (in)adequação da divisão binária entre controle aversivo e reforçamento positivo.

Palavras chave

controle aversivo, reforçamento positivo, autoimposição de time-out.

Minicurrículo do proponente

Doutoranda em Psicologia Experimental no Laboratório de Análise Biocomportamental do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Professora do curso de graduação em Psicologia da Universidade Positivo. Psicóloga e mestre em Psicologia pela UFSC.

Perfil do público alvo

Estudantes e profissionais interessados em pesquisa básica.

População envolvida

Não se aplica

Área

Processos Comportamentais Básicos

Instituições

Instituto de Psicologia- USP - São Paulo - Brasil

Autores

FERNANDA BORDIGNON LUIZ, GUILHERME LAURO HOFFMANN, MARIA HELENA LEITE HUNZIKER