XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

A HISTORIA DA LOUCURA E O HOLOCAUSTO BRASILEIRO: UMA INTERPRETAÇAO ANALITICO COMPORTAMENTAL

Resumo

A história do Hospital Colônia de Barbacena representa uma triste etapa do processo de evolução do tratamento da loucura nacional, que pode ser igualmente traçado em âmbito mundial. Os transtornos psiquiátricos, ao longo de toda história da humanidade, foram marcados por concepções místicas e o tratamento conferido sempre oscilou entre métodos populares e métodos científicos. Contudo, a ontogênese do indivíduo fora comumente ignorada e a causalidade para seus comportamentos, atribuída ora aos fenômenos místicos, ora ao determinismo de uma degeneração filogenética. À vista disso, objetivou-se analisar o documentário Holocausto Brasileiro (2016), para compreender de que maneira se sucedeu o tratamento psiquiátrico em solo nacional em comparação ao processo mundial. Utilizou-se de uma pesquisa documental e bibliográfica nas plataformas digitais SciELO e PePSIC, livros e websites governamentais. As Santas Casas de Misericórdia foram as responsáveis por acolher, inicialmente, os segregados pela sociedade. Todo tipo de desajustamento comportamental era considerado justificativa para o internamento. Com o reconhecimento da psiquiatria enquanto área médica de estudo, no início do século XX, terapias químico e eletroconvulsivas, antipsicóticos clássicos, lobotomias e sedativos passaram a ser utilizados, dando início à psiquiatria científica. É recente a ideia de tratar pessoas que apresentam comportamentos altamente disfuncionais a partir de uma perspectiva contextualista levando em conta seu ambiente, história de aprendizagem e aspectos filogenéticos e fisiológicos. Em solo nacional, por exemplo, com a implementação da Lei Federal nº10.216/01, conhecida como Lei Antimanicomial, foi possível assegurar melhores condições de saúde às pessoas acometidas por transtornos psiquiátricos severos. Portanto, conclui-se que o tratamento psiquiátrico tem evoluído em busca de métodos baseados em evidências científicas e que valorizem uma interpretação contextualista do comportamento.

Palavras chave

Tratamento; História; Transtornos psiquiátricos; Contextualista.

Minicurrículo do proponente

FERNANDA APARECIDA PIOVESAN, BACHARELANDA DO SÉTIMO SEMESTRE DE PSICOLOGIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, CAMPUS CUIABÁ. BOLSISTA DO PROGRAMA PET-SAÚDE INTERPROFISSIONALIDADE - MINISTÉRIO DA SAÚDE DESDE ABRIL DE 2019. ENTRE OUTUBRO DE 2017 E 2018 PARTICIPOU DO ESTÁGIO EXTRACURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO NO SERVIÇO DE PSICOLOGIA APLICADA (SPA) - UFMT.
RAFAEL BENÁ DE ARAUJO, BACHARELANDO DO SÉTIMO SEMESTRE DE PSICOLOGIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, CAMPUS CUIABÁ. ALUNO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DESDE 2017 NO LABORATÓRIO DE ESTUDO E PESQUISA EM PSICOLOGIA EXPERIMENTAL (LEPPEX), SOB ORIENTAÇÃO DO PROFº DRº THIAGO MARQUES DE BRITO. POSSUI INTERESSE PELAS ÁREAS DE NEUROCIÊNCIA COMPORTAMENTAL E ANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO

Perfil do público alvo

INTRODUTÓRIO.

População envolvida

NÃO SE APLICA.

Área

Análises conceituais, históricas e filosóficas

Instituições

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO - Mato Grosso - Brasil

Autores

FERNANDA APARECIDA PIOVESAN, RAFAEL BENÁ DE ARAUJO, THIAGO MARQUES DE BRITO