XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INTERVENÇOES ACT E DE EXPOSIÇAO EM UM CASO DE ALTA COMPLEXIDADE

Resumo

Caso caracterizado por comorbidades, longa duração e extrema severidade, tratado em duas fases. Na primeira fase havia um diagnóstico de Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) extremo (Y-BOCS = 38), desenvolvido na infância, com sintomas de depressão severa (BDI-II = 44) e presença de sintomas psicóticos, ideação suicida e características de incompletude, pensamentos proibidos e ferimentos. Após 8 sessões de Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT), houve redução da gravidade do TOC (Y-BOCS = 28) e da depressão (BDI-II = 26). No entanto, os resultados não se mantiveram no follow-up de 2 meses, dando-se início à segunda fase do tratamento, com duração de 29 sessões, programando-se inicialmente a aplicação da técnica de Exposição e Prevenção de Resposta (EPR), voltada para pensamentos sacrílegos, queixa do cliente, duas vezes por semana. No entanto, na 13ª sessão o cliente revelou ter sofrido múltiplos traumas na infância, levando à hipótese de Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) concomitante, confirmada pela severidade dos sintomas (IESR = 48; DTS = 107). A partir daí, decidiu-se mudar o foco terapêutico e substituir a EPR pela exposição prolongada (EP), aplicada em 9 sessões. Concluída a EP, verificou-se diminuição significativa dos sintomas de TEPT (IESR = 18; DTS = 41), mas persistiram obsessões e compulsões relacionadas a pensamentos de conteúdo sexual, motivando a retomada da EPR, por duas sessões, em ambiente que evocava as respostas compulsivas. A aplicação das técnicas de exposição foi conjugada com a continuidade das intervenções consistentes com o modelo ACT. As medidas de severidade do TOC e da depressão, dois meses após o fim do tratamento, mostraram redução acentuada dos sintomas (Y-BOCS = 7; BDI-II = 12), assim como as relativas ao TEPT, colhidas em follow-up de 3 meses (IESR = 1; DTS = 7). Os resultados sugerem eficácia da integração entre técnicas de exposição e a ACT, guiada pela sensibilidade à dinâmica do contexto clínico.

Palavras chave

Transtorno de Estresse Pós Traumático; Transtorno Obsessivo-Compulsivo; Terapias de Exposição; Terapia de Aceitação e Compromisso; caso complexo

Minicurrículo do proponente

Estudante de Psicologia, cursando o último ano da graduação pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB). Tem formação em análise comportamental clínica pelo Instituto Brasiliense de Análise do Comportamento (IBAC). É monitora do curso de Formação em Análise Comportamental Clínica no IBAC. Vem se especializando em Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT), Teoria das Molduras Relacionais (RFT) aplicada à clínica e terapias de exposição (EP e EPR), voltadas especialmente para o tratamento de transtornos de ansiedade, Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) e Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). É membro da Association for Contextual Behavior Science (ACBS) e da Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental (ABPMC).

Perfil do público alvo

Introdutório, Intermediário e Avançado

População envolvida

Não se aplica

Área

Intervenção Clínica no Consultório

Autores

MICHELLI CARRIJO CAMEOKA, JOANA SINGER VERMES