XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EFEITOS DO PROMOVE SAUDE DA MULHER PARA MULHERES COM ANSIEDADE E DEPRESSAO

Resumo

A prevalência de transtornos de ansiedade e depressão em mulheres é maior do que em homens, sendo a comorbidade presente em aproximadamente 50% dos casos. Sabe-se da relação entre déficits de habilidades sociais e tais transtornos, bem como da relevância de intervenções junto a essa população. No entanto, ainda é uma lacuna no conhecimento pesquisas clínicas nessa temática. O objetivo desta pesquisa foi o de descrever efeitos da intervenção Promove Saúde da Mulher quanto à redução dos sintomas de ansiedade e depressão e aquisição de habilidades sociais (interações positivas e resolução de problemas), em um delineamento de linha de base múltipla entre participantes. As medidas repetidas foram obtidas com a aplicação dos instrumentos PHQ-9 (depressão), GAD-7 (ansiedade) e IHS-2 (habilidades sociais), bem como de um checklist de queixas clínicas. Para medidas processuais foram utilizados registros das sessões terapêuticas. Participaram 3 mulheres com comorbidade de ansiedade e depressão, sendo que foram conduzidas 29 sessões (80 minutos) com duas delas e 18 com a terceira. O programa procurou ensinar comportamentos (HS e outros) contingentes aos contextos de conjugalidade, parentalidade e trabalho, de forma a ampliar as interações positivas e as estratégias de resolver problemas. Os resultados mostraram a redução para os níveis não clínicos de ansiedade e depressão no pós-teste. No entanto o IHS-2 não identificou melhora nas avaliações. Por outro lado, as avaliações sessão a sessão demonstraram aquisição de repertório de habilidades sociais, especialmente o de enfrentamento. Este estudo foi capaz de coletar evidências de resultado em terapia analítico-comportamental. Sua principal limitação foi a dificuldade de uma das participantes em aderir ao processo terapêutico, além da dificuldade de coletar medidas de ampliação do repertório por meio do IHS-2, instrumento que pode ser substituído em estudos posteriores e com amostras maiores.

Palavras chave

Terapia Analítico-Comportamental; Ansiedade; Depressão; Mulheres; Evidências

Minicurrículo do proponente

Psicólogo graduado pela UNESP Bauru
Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem - Faculdade de Ciências - Unesp Bauru
Bolsista FAPESP
Orientado pela Prof. Dra. Alessandra Turini Bolsoni-Silva
Pesquisa intervenção analítico-comportamental clínica para mulheres que desempenham múltiplos papéis em suas vidas e sofrem de ansiedade e depressão
Autor do livro "Como lidar com relações interpessoais e sobrecarga de tarefas"

Perfil do público alvo

Interessados em pesquisas clínicas
Psicoterapeutas analítico-comportamentais
Estudantes de terapia comportamental

População envolvida

Mulheres com ansiedade e depressão
Psicoterapeuta

Área

Intervenção Clínica no Consultório

Autores

ALEXANDRE AGUIAR VICTURI, ALESSANDRA TURINI BOLSONI-SILVA