XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

IMPLEMENTAÇAO DE UM PLANO DE INTERVENÇAO COMPORTAMENTAL (PIC) PARA REDUÇAO DE COMPORTAMENTOS DISRUPTIVOS E AGRESSIVOS EM UMA CRIANÇA COM AUTISMO.

Resumo

A implementação de planos de intervenção comportamental (PIC) baseados na análise funcional de comportamentos difíceis de crianças diagnosticadas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) tem grande respaldo na literatura (Hanley, Iwata e McCord, 2003). Este relato de caso descreve os efeitos de um protocolo baseado na avaliação funcional dos problemas de comportamento de uma criança de 8 anos de idade com TEA. A avaliação do repertório de entrada da criança apontou déficits consideráveis no repertório de mando, tato e intraverbal e a avaliação funcional informou que os comportamentos são putativamente reforçados com atenção e acesso a itens em combinação com a remoção de demandas instrucionais. Observou-se como variável dependente a frequência e a duração de comportamentos disruptivos (recusar, protestar, jogar-se no chão, gritar e chorar) e de comportamentos agressivos (agarrar objetos e pessoas, atirar objetos, empurrar, socar, jogar-se sobre o adulto). Os comportamentos foram avaliados como de alto risco à segurança da criança, de seus pares e adultos requerendo a modificação no espaço físico para aumentar a segurança dos envolvidos. A variável independente foi o conjunto de estratégias baseadas em evidência descritas no plano de intervenção comportamental. Durante a linha de base os comportamentos ocorreram em média duas vezes em sessões de 120 minutos, e tiveram duração média de 38 minutos por episódio. O PIC foi elaborado e supervisionados por uma BCBA-D/QBA e implementado por um psicólogo comportamental em uma clínica no interior do Espírito Santo. Os resultados informaram uma redução na frequência, duração e severidade dos comportamentos problemas e um aumento na frequência de comportamentos de comunicação funcional, cooperação e engajamento em tarefas. Discute-se os efeitos positivos de um protocolo baseado em evidência para a redução de comportamentos disruptivos, agressivos e para o ensino de habilidades pró-sociais.

Palavras Chave

Agressão, Disrupção, Análise Funcional, Terapia ABA, Autismo.

Minicurrículo do proponente

Lucas Polezi do Couto, Psicólogo (CRP 16/6198), formado na Faculdade Pitágoras de Linhares-ES, Consultor Comportamental na clínica Casulo Comportamento e Saúde. Contato: lucaspolezicouto@gmail.com/lucasp@casulocs.com.br.
Mylena Pinto Lima, Psicóloga (CRP 16/5908), Board Certified Behavior Analyst Doutoral Designation (BCBA-D), Qualified Behavior Analyst (QBA). Mylena Pinto Lima é doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e Diretora Clínica da Casulo Comportamento e Saúde. Contato: mlima@casulocs.com.br.

População envolvida

Uma criança diagnosticada com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Perfil do público alvo

Estudantes de psicologia, psicólogos/as e demais profissionais da área da saúde.

Área

Transtorno do Espectro do Autismo

Autores

Lucas Polezi do Couto, Mylena Pinto Lima