XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EFEITOS DA RESTRIÇÃO E DO ACESSO A ALIMENTOS PALATÁVEIS SOBRE O PESO E CONSUMO: UM MODELO ANIMAL DE BINGE EATING

Resumo

Avaliou-se os efeitos de uma história de restrição alimentar com acesso intermitente ilimitado a alimento palatável sobre o peso e consumo de ração regular e palatável (cubos de açúcar) em 12 ratas. Para tal, foram analisados o consumo diário nos cinco dias da semana e o consumo médio de cada sujeito aos finais de semana, em linha de base (LB) e durante 12 ciclos semanais, com 4 dias de restrição ou não de ração regular e 3 dias de acesso ad lib a alimento regular ou a regular e palatável. Os sujeitos foram pareados em duplas com consumo similar na LB e a restrição praticada foi de 75% (ciclos 1 a 6) ou 50% (7 a 12) do consumo do sujeito não restrito pareado. Três sujeitos foram expostos a uma de quatro histórias: (a) restrição com acesso a alimento palatável (R/P); (b) restrição com acesso apenas a ração regular (R/R); (c) sem restrição com acesso a alimento palatável (NR/P) e (d) sem restrição com acesso apenas a ração regular (NR/R ou Controle). Encerrados os 12 ciclos, seguiu-se um período de 30 dias de regularização da dieta e então foram realizados três testes de consumo, envolvendo privação aguda de 24h (Testes 1 e 2) ou ausência de privação (Teste 3) e acesso a somente ração regular (Teste 1) ou a regular e palatável (Testes 2 e 3), iguais para todos os sujeitos. Em conjunto, os dados mostraram que uma história de restrição aumentou o consumo alimentar subsequente, especialmente quando a realimentação envolveu alimento palatável. Por outro lado, o acesso intermitente a alimento palatável produziu progressiva redução do consumo de alimento regular, imediatamente no caso de sujeitos NR/P, tornando o consumo menor do que o da LB, e apenas tardiamente no caso dos sujeitos R/P, mas não reduzindo o consumo para os mesmos níveis da LB após o seu aumento inicial. Todos os testes de consumo após a regularização da dieta mostraram maior consumo pelos sujeitos R/P, o que atesta a importância dessas variáveis na produção e manutenção do binge eating.

Palavras chave

restrição alimentar; alimento palatável; compulsão alimentar; binge eating; modelos experimentais.

Minicurrículo do proponente

Os três primeiros autores são docentes no Curso de Graduação em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, colaborando na linha de pesquisa na qual o trabalho apresentado se insere. O quarto autor é estudante no mesmo curso e foi monitor da disciplina Eletiva de Pesquisa em Análise do Comportamento: Modelos Experimentais de Psicopatologia à qual a realização da pesquisa esteve vinculada. A segunda autora também é docente no Programa de Estudos Pós-graduados em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento da PUC-SP.

Perfil do público alvo

A apresentação destina-se aos mais diferentes níveis de formação (graduação e pós-graduação) e, apesar de tratar-se de um relato de pesquisa básica com sujeitos não-humanos, é de interesse tanto para pesquisadores quanto para estudantes e profissionais interessados nas variáveis controladoras do comportamento alimentar excessivo (binge eating ou compulsão alimentar).

População envolvida

O trabalho em si foi uma pesquisa com sujeitos não humanos (ratas), mas sua temática refere-se a problemas de comportamento alimentar, especificamente o comer excessivo, presente por exemplo em populações clínicas diagnosticadas com bulimia nervosa, transtorno da compulsão alimentar periódica, obesidade e diabetes.

Área

Processos Comportamentais Básicos

Instituições

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - São Paulo - Brasil

Autores

EMERSON FERREIRA COSTA LEITE, PAOLA ESPOSITO MORAES ALMEIDA, MARIA LUISA COSTA GUEDES, GABRIEL BUENO TERHOCH