XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

RAZOES PARA UMA INTERPRETAÇAO ETIOLOGICO-SELECIONISTA DAS FUNÇOES BIOLOGICAS DE COMPORTAMENTOS

Resumo

A teoria etiológico-selecionista das funções biológicas, formulada e defendida marcadamente por L. Wright, R. G. Millikan, K. Neander e, mais recentemente, J. Garson, é uma das concepções de maior destaque nos debates atuais sobre os critérios de aplicação do conceito de função biológica. Resumidamente, segundo essa teoria das funções, um traço X (por ex., um dado comportamento operante de um pombo) tem uma função F (por ex., obter alimento) se X foi selecionado por resultar em F; isto é, se sua etiologia envolve história de seleção de uma variante de itens passados de X tendo as características relevantes para produzir F, conferindo sucesso diferencial em relação a itens sem essas características (por ex., bicadas com uma dada frequência resultaram em liberação de um grão, ao passo que aquelas sem a frequência necessária, não), acompanhado respectivamente de aumento (persistência) ou diminuição (com subsequente extinção) de sua frequência. Trata-se, assim, de uma interpretação das funções que pode – como tenho explorado em alguns trabalhos – harmonizar-se com o modelo de seleção por consequências proposto originalmente por Skinner, amplamente aceito em análise do comportamental. Dada essa utilidade potencial da concepção em pauta para desdobramentos do modelo de seleção pelas consequências em análise do comportamento, tem-se por objetivo aqui apresentar um conjunto de razões em favor dela. Procuro: (1) elucidar (como resultado de análise conceitual) algumas características básicas das atribuições de funções (isto é, o que estas implicam e com o que contrastam); (2) apresentar o cerne da teoria etiológico-selecionista, com foco em sua formulação recente por J. Garson e em comportamentos, mostrando como ela é coerente com aquelas características básicas (destrinchadas como parte do objetivo 1), o que é uma razão em seu favor; e, por fim, (3) ilustrar a força dessa interpretação das funções em lidar com críticas que lhe são feitas, o que é outra razão em seu favor.

Palavras chave

Funções; Teoria etiológico-selecionista; Darwinismo; Seleção pelas consequências; Comportamento.

Minicurrículo do proponente

É Professor Adjunto na Universidade Federal de Goiás (UFG), onde atua na Faculdade de Filosofia (FAFIL) e no Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGFil). Obteve doutorado em Filosofia na Universidade de São Paulo (2012-2015), com estágio de pesquisa na University of Miami (2014). Possui mestrado (2010-2011) e graduação (2004-2009) em Filosofia pela Universidade de Brasília. Integra o GT Pesquisa Teórica em Análise do Comportamento da ANPEPP. É membro do comitê editorial da revista Behavior & Philosophy.

Perfil do público alvo

Intermediário

População envolvida

Não se aplica

Área

Análises conceituais, históricas e filosóficas

Autores

FILIPE LAZZERI