XXIX Encontro Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental 2020

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EFEITOS DE JUSTIFICATIVAS SOBRE O BRINCAR SOCIAL DE CRIANÇAS COM O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA)

Resumo

Justificativas são propriedades formais constituintes de regras, definidas como antecedentes verbais de eventos atuais, históricos e futuros que podem alterar a função de estímulos, determinar a topografia do comportamento e sua probabilidade de ocorrer e ser mantido. Trata-se de um estudo observacional para se obter o nível de interação social entre uma criança atípica e uma criança típica sem intervenção. Participaram desta pesquisa duas crianças, entre 5 e 7 anos de idade, autorizadas pelos responsáveis. A Etapa 1 correspondeu à captação dos participantes, atendendo aos critérios de inclusão. Na Etapa 2 ocorreu a aplicação, para a criança com TEA, do Teste de Comportamento Social do VBMAPP, Teste de Compreensão de Histórias e Teste de Seguimento de Instruções. A Etapa 2 consistiu em uma sessão de linha de base, com duração de sete minutos, para verificar o repertório de interação social com o par típico antes da intervenção. A sessão foi filmada e, simultaneamente, a ocorrência dos comportamentos de brincar social foram registrados em folha apropriada. O P1, atípico, correspondeu aos critérios de inclusão, acertando 100% dos testes de seguimento de instrução e de compreensão de histórias. No VBMAPP, o P1 atingiu a pontuação 14, definida também como critério de inclusão. Após essa etapa, realizou-se a linha de base, na qual os desempenhos de P1 e P2 não variaram e houve o registro de uma frequência nula dos comportamentos-alvo de brincar social. A interação observada da sessão correspondeu a comportamentos de contato visual apenas. Os resultados corroboram com a literatura sobre Intervenção Mediada por Pares, os quais apontam que participantes atípicos tendem a emitir comportamentos de interação em baixa frequência quando não há intervenção, caracterizando que tais comportamentos apresentam alto custo. Dessa forma, o modo de intervenção deve expor os participantes atípicos a contingências mais naturais que tornem as relações, com o par típico, reforçadoras.

Palavras chave

Justificativas; Brincar Social; Desenvolvimento Atípico; Intervenção Mediada por Pares.

Minicurrículo do proponente

Estudante do 5º semestre de Psicologia da Universidade Federal do Pará, monitora bolsista das disciplinas de Behaviorismo I e II. Iniciação científica voluntária, com plano de trabalho intitulado "Efeitos de justificativas do Tipo 5 sobre comportamentos de convidar e aceitar brincar em crianças com o Transtorno do Espectro Autista", parte do projeto de pesquisa "Efeitos isolados e combinados de justificativas sobre o comportamento de seguir regras", coordenado pela Prof. Dra. Carla Paracampo.

Perfil do público alvo

Estudantes de graduação e pós-graduação interessados na área do comportamento de seguir regras em crianças com transtorno do espectro autista.

População envolvida

Crianças com transtorno do espectro autista grau leve e crianças com desenvolvimento típico.

Área

Transtorno do Espectro do Autismo

Autores

ROBERTA ALMEIDA MENDES